Sistema Online de Gestão de Consultórios Odontológicos


  Central de Atendimento : (62) 4016-8055

ag_ac

Como saber se está na hora de começar uma sociedade?

Muito trabalho em seu consultório? Acredita que um sócio irá resolver todos os seus problemas? Tenha certeza disso antes de tomar uma decisão tão importante! No artigo de hoje estão algumas dicas para te ajudar a refletir se você está pronto para uma sociedade.

A contratação de um sócio é uma das decisões mais importantes de sua carreira, pois é diferente de qualquer outro serviço temporário, e por isso não deve ser uma decisão assumida levianamente. Lembre-se, um sócio deve ser um parceiro, assim ambos devem entender os objetivos de cada um e compartilhar a mesma filosofia da prática profissional.

Mas, antes de começar a procurar o par perfeito para se associar, certifique-se que  você realmente precisa de um sócio. Muitos profissionais amam a ideia de contratar um sócio para reduzir a sua carga de trabalho e aliviar o estresse, o problema é que se um sócio não é necessário no momento, isso pode se tornar um problema.

Primeiro é necessário refletir na vertente, talvez você ande tão ocupado porquê suas tarefas estão desorganizadas e não porquê você precisa de um sócio. É isso mesmo, tarefas desordenadas propiciam a falsa sensação que você tem mais pacientes do que você pode atender, quando na verdade, é sua desorganização que está ocasionando estragos no seu dia e ocasionando estresse.

Ter um sócio é uma grande decisão, então você precisa ter convicção de sua necessidade desde o início. Veja a seguir algumas dicas que te farão pensar sobre a aquisição de uma sociedade e de como garantir que essa seja um sucesso.

1)      Determine se você tem pacientes suficientes para compartilhar com um outro dentista

 Esse é um fato muito importante, por isso antes de ter um sócio certifique-se que você terá pacientes suficientes para ambos. Então, qual a quantidade ideal para se ter um sócio? De acordo com a indústria odontológica, você precisa atrair entre 30 e 35 novos pacientes por mês para contratar um sócio e não onerar suas despesas.

2)      Saiba o que você quer e espera

 A grande maioria das sociedades não funcionam, sabe por quê? Isso ocorre porque geralmente as necessidades e expectativas não são claramente expostas ou são incompatíveis. Além disso, os profissionais esperam ver em seus sócios uma extensão de si próprio, e isso gera expectativas que não podem ser correspondidas. Portanto, ao pensar em uma sociedade defina seus objetivos e propósitos, esses devem ser claramente compartilhados com seu possível sócio, para ver se ambos possuem interesses comuns.

3)      Organize seu consultório

Os sócios são muitas vezes recém-formados que estão ansiosos por emprego e experiência, portanto estão ansiosos para aprender com você e fazer parte de uma equipe bem treinada. Então quando seu consultório está uma desordem, pode sobrar para esses novos sócios apagar “incêndios” durante todo o dia, e é óbvio que ninguém se mantém por muito tempo animado nesse contexto caótico. Um sócio não quer ser apenas um, ele quer também fazer a diferença e impulsionar a produção prática, e se isso não ocorre gera um desgaste emocional, que pode ocasionar danos e ruptura da sociedade. Assim, a organização de seu consultório é necessária para ver se precisa de um sócio e também para conseguir manter um. Lembre-se: Nada, definitivamente nada funciona na desordem!

4)      Nada de moleza

Se você decidiu ter um sócio porque pretende se aposentar em breve, saiba que isso não quer dizer que agora você terá somente as tarefas agradáveis, deixando todas as tarefas trabalhosas e chatas para seu sócio. Muito pelo contrário, sociedade é partilhar tanto o bom como o ruim. Então, foque em seu trabalho e nada de moleza, afinal a união faz a força! “Unidos venceremos, divididos, cairemos! Bob Marley”.

Esperamos que essas dicas possam te ajudar a esclarecer mais sobre uma sociedade promissora.

Até o próximo artigo!

O que achou? Deixe o seu comentário.