Sistema Online de Gestão de Consultórios Odontológicos


  Central de Atendimento : (62) 4016-8055

d_v

Porque é a alta taxa de divórcio entre os dentistas e como evitá-lo?

 

Os dentistas têm a infeliz reputação de ter uma taxa de separação mais elevada do que o resto da população. Existe uma série de fatores que podem levar ao divórcio na profissão, por isso aqui estão algumas sugestões para te ajudar a entender as razões mais comuns para o divórcio na odontologia e medidas para evitar que você faça parte dessa triste estatística.

Passar por um divórcio não é nada agradável, pode ocasionar danos diversos e irreparáveis, que vão desde um stress emocional, ruptura com amigos em comum e familiares do cônjuge, à separação dos filhos. A grande maioria dos divórcios podem ser evitados, e por isso o artigo de hoje traz alguns aspectos para te ajudar compreender mais sobre esse assunto que infelizmente é recorrente em nossa sociedade, e entender o porquê da sua constância entre dentistas.

1) Excesso de carga horária de trabalho 

Os dentistas geralmente trabalham muito e por longas horas, principalmente nos primeiros anos pós universidade, uma vez que pretendem adquirir seu próprio negócio. Isso pode gerar um conflito entre os cônjuges por falta de tempo para afazeres em comum, levando a um distanciamento pelos dois motivos (conflito e falta de convivência) ao longo dos anos.

Solução: A comunicação é um dos maiores segredos do casamento, se comunique claramente, explique seus planos, faça de seu cônjuge um verdadeiro companheiro e coloque equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. E lembre-se, o segredo de qualquer relacionamento é o companheirismo.

2) Gastos com o consultório


As perspectivas de ser casado (a) com um cônjuge dentista parece valer muito a pena, mas quando a renda da profissão nos primeiros anos é destinada a satisfazer o orçamento doméstico, pagar as dívidas e construir um negócio, não há muito espaço financeiro para grandes casas, bons carros e viagens, e portanto se o parceiro não gosta muito de poupar, isso pode lamentavelmente se tornar um problema.

Solução: Façam planos financeiros juntos, assim seu parceiro (a) não pensará que foi deixado de lado durante as decisões e compreenderá o orçamento familiar, tendo prazer em colaborar.

3) Popularidade

Os dentistas tem uma grande popularidade, principalmente em cidades pequenas, uma vez que interagem com muitas pessoas. Quase todos os dentistas tem uma personalidade cativante, são amigos de “todo mundo” e participam de diversos eventos. Mas, essa popularidade pode se tornar um problema em um casamento, caso não se aprenda a lidar com ela, pois se você se ausentar muito de casa, seu cônjuge pode se sentir segundo plano e isso poderá acarretar problemas.

Solução: Em primeiro lugar, ninguém gosta de ser isolado, então se você como dentista participa de diversos grupos importantes da cidade, eventos, sai muito com os amigos, não esqueça de demostrar o quanto a companhia do seu cônjuge é estimada e que almeja estar em sua companhia, por isso envolva seu companheiro (a) em suas atividades, isso o fará se sentir importante e cativará o amor entre vocês. Lembre-se seu cônjuge deve ser o bem mais precioso para você, e se isso for seguido à risca e por ambos, não existe espaço para infelicidade em um casamento.

4)Equipe de trabalho

A grande maioria dos dentistas são homens e grande parte da equipe de trabalho são mulheres, isso pode gerar ciúmes na esposa e iniciar uma série de discussões.

Solução: Ame muito seu cônjuge, conquiste-a todos os dias, afinal um grande homem ou uma grande mulher reconquista seu amor todos os dias, assim ele não terá motivos e nem mesmo tempo para alimentar ciúmes e pensamentos negativos. O divórcio é um processo difícil de suportar para qualquer.

A prevenção é o melhor remédio, por isso defendemos tomar todas as medidas possíveis para se salvar um casamento. Lute por quem você ama e não desista, afinal o “amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta, 1 Coríntios 13:4-7.”

Seja feliz e até o próximo artigo :D

O que achou? Deixe o seu comentário.